Viaje para o centro de sua casa: como economizar eletricidade e outras dicas para tirar proveito da quarentena (Foto de Kelly Lacy no Pexels)

De repente, um vírus estranho se infiltrou em nossas vidas e assumiu nossas rotinas. 

Isso nos obriga a ficar em casa e condiciona a forma como trabalhamos, interagimos e aproveitamos nosso tempo livre. 

Isso se tivermos sorte, se isso não prejudicar nossa estabilidade no emprego, não prejudicar nossa própria saúde ou, no pior dos casos, a de um ente querido que não conseguiu superar a doença.

Você está em casa agora? Não importa se você é proprietário ou inquilino para locação, pode saber informações da sua casa com uma agência virtual.

Convidamos você a fazer uma visita guiada com os cinco sentidos pela sua casa, pelos diferentes aspectos da sua casa para ajudá-lo a detectar seus pontos fortes e fracos

E descobrir como sua casa pode contribuir para melhorar o seu bem-estar e de sua família.

Em suma, ajude-o a vivê-lo com consciência e a compreender seus defeitos e virtudes para tirar o melhor proveito dele. 

A partir dessa percepção da nossa casa, podemos atentar para diversos aspectos, como se fosse uma visita guiada. 

1. O ar que respiramos dentro de casa

Apenas relaxe. Respire fundo. Como está o ar dentro de sua casa? Abra a janela e compare com o que podemos respirar hoje em dia lá fora. 

A OMS alerta que nove em cada dez pessoas em todo o mundo respiram ar poluído, mas alguns estudos indicam que a concentração de partículas poluentes pode ser duas a cinco vezes maior dentro de um edifício do que fora. 

Ainda mais nestes dias de confinamento em casa, em que a qualidade do ar em nossas cidades é muito melhor do que o normal. 

A qualidade do ar que respiramos em um ambiente fechado depende do CO2 que emitimos quando respiramos ou suamos, mas também das partículas emitidas por nossas paredes, pisos e até mesmo nossos móveis. 

Para garantir uma boa qualidade do ar dentro da casa, é importante ventilar diariamente.

Se a nossa casa tem fachadas com orientações diferentes, ou tem logradouro e abrimos várias janelas ao mesmo tempo, faremos isso de forma rápida e eficiente: vantagens da ventilação cruzada. 

A má ventilação, somada à descompensação térmica, cargas eletromagnéticas e partículas em suspensão e vapores de origem química que circulam no ar podem gerar desconforto típico.

2. A temperatura certa para ficar bem

Voltemos à nossa experiência pessoal. Você está à vontade? Você se sente muito frio ou quente? Existe muita umidade? O movimento do ar é agradável? 

Estamos falando de conforto térmico. A temperatura em que estamos bem varia de acordo com a idade, sexo, nosso nível de atividade e, claro, as roupas que vestimos. 

Se a temperatura não estiver certa, tente identificar a causa. Você pode tocar as paredes externas com a palma da mão, elas estão mais frias ou na mesma temperatura das paredes internas?

3. Eficiência no consumo

Os eletrodomésticos e a água quente sanitária são os maiores consumidores de energia em casa. 

Você sabe qual é a letra de A a G que consta do certificado de eficiência energética da sua casa?

 Você olha os detalhes de suas contas de serviços públicos? Você conhece a origem da fonte de energia que você consome?